ACNE (CRAVOS E ESPINHAS): Entenda as Causas

publicidade

A acne é uma doença de pele muito comum, sendo a gravidade de intensidade variável, desde lesões mínimas, imperceptíveis, até lesões muito graves, deformantes, com consequente redução da qualidade da vida e danos emocionais.

O que caracteriza a acne?

A acne é caracterizada pelo aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilossebáceo, geralmente por queratina, formando os comedões abertos (os “cravos” pretos) e os comedões fechados (os “cravos” brancos).

acne - folículo2

Visão microscópica da pele, mostrando a acne

Se o sebo produzido pelas glândulas sebáceas não é drenado e há proliferação bacteriana, acaba ocorrendo a inflamação. Esta inflamação é a “espinha”.

Frequente em adolescentes e em adultos jovens, a acne pode se prolongar além deste período, principalmente nas mulheres, nas quais pode permanecer além dos 30 anos de idade, sendo assim chamada de acne da mulher adulta.

“Espinhas” na mulher adulta

A acne da mulher adulta caracteriza-se por ter apresentar lesões predominantemente na região da mandíbula e, com frequência, estar relacionada ao ciclo menstrual.

acne -mulher-adulta

Diferença de localização na adolescente e na mulher adulta

Este tipo pode ocorrer devido à ação dos hormônios masculinos, os andrógenos, na pele da mulher.

Quando os andrógenos agem nas glândulas sebáceas, há como resultado a seborreia e a acne. Se agem sobre os folículos pilosos, o resultado é o aumento de pelos no corpo, chamado hirsutismo, e queda dos cabelos, a alopecia.

Quando seborreia (caspa), acne, hirsutismo (excesso de pelos no corpo) e alopecia (queda de cabelo) estão presentes, o conjunto é chamado de Síndrome SAHA.

Cremes e medicamentos podem causar acne

Hidratantes, protetores solares e outros cremes muito oleosos também podem causar acne por obstrução da abertura do folículo pilossebáceo, por isso, para a maioria das pessoas, os produtos para uso na pele do rosto devem ser em loção oil free ou gel.

Procure no rótulo esta informação. Geralmente vem escrito “não comedogênico”.

Também alguns medicamentos podem causar lesões semelhantes à acne: lítio, isoniazida, rifampicina, etionamida, vitaminas do complexo B (B1, B6 e B12), fenobarbitúricos, hidantoína e corticoides.

publicidade

Outras causas de “espinhas”

Além do uso de cremes e medicamentos, há mais quatro causas para que uma pessoa tenha acne.

A primeira causa é a predisposição hereditária

Se pai e mãe tiveram acne, o filho tem 50% de ter acne também, com gravidade variável. Ou seja, mesmo com chance aumentada, não é possível prever a gravidade, se vai ser melhor ou pior que seus pais.

O fator hormonal é a segunda causa e é uma causa comum

Os hormônios masculinos regulam a produção de sebo pelas glândulas sebáceas.

Esses hormônios são produzidos pelos ovários e pelos testículos e também pelas glândulas supra-renais.

Na puberdade, quando o corpo passa por transformações para sair da “configuração criança” para a “configuração adulto”, há aumento na produção desses hormônios e, por causa disso, aumento do tamanho das glândulas sebáceas e da quantidade de secreção, sebo, produzida.

A terceira causa é a proliferação bacteriana na pele

Com o aumento da produção de sebo e o acúmulo deste, há proliferação de bactérias, levando à inflamação da pele, com lesões avermelhadas, dolorosas e com pus.

A principal bactéria no processo é a Propineumbacterium acnes (P. acnes).

Quarta causa: fatores emocionais

E, por fim, os fatores emocionais, como numa situação de grande stress ou mesmo com a variação hormonal do ciclo menstrual.

Fatores emocionais, com estímulo através do córtex cerebral, agem sobre o sistema neuroendócrino (eixo hipotálamo – hipófise – supra-renal), levando ao aumento dos níveis de hormônios masculinos.

E o chocolate não causa “espinhas”?

Chocolate 3

Chocolate não é causa em todas as pessoas

Alimentos gordurosos e açucarados podem provocar a acne pelo aumenta oleosidade na pele, mas isso vai depender do metabolismo de cada pessoa.

Então, não é preciso qualquer dieta, mas a pessoa deve observar qual o comportamento de sua pele ao ingerir alimentos gordurosos ou açucarados e restringir o que for significativo para o seu caso, se necessário.

E é de bom senso, por diversos outros motivos, comer esses tipos de alimentos com moderação.

A gravidade da acne é classificada em cinco graus:

acne - folículo

Evolução da lesão de comedão ou cravo até acne nódulo-cística

Acne grau I ou comedogênica: somente comedões fechados ou abertos (“cravos”). Não há inflamação, “espinhas”.

publicidade

Acne grau II ou pápulo-pustulosa: há comedões, pápulas, que são pontos vermelhos e pústulas, que são as “espinhas”.

Acne grau III ou nódulo-cística: há comedões, “espinhas” e cistos, que são lesões maiores, inflamadas, profundas e dolorosas, que podem drenar pus.

acne IV

Acne grau IV ou conglobata

Acne grau IV ou conglobata: é como no grau anterior, porém mais grave, pois os cistos são muitas vezes maiores (nódulos), mais inflamados e mais numerosos. Também formam fístulas entre si (comunicam-se) e drenam pus. O quadro pode ser desfigurante.

Acne grau V ou acne fulminans: situação rara e muito grave, pois a pessoa apresenta febre, queda do estado geral, dor em diversas articulações e nos músculos, além de perda do apetite. Geralmente é necessária a internação hospitalar.

“Espinhas” no recém-nascido

Além desta classificação de apresentação, a acne pode ocorrer no recém-nascido.

A acne neonatal inicia nas primeiras semanas de vida, devido aos andrógenos da mãe e tende a regredir após alguns meses.

Já no lactente, a acne surge entre os 3 e 6 meses de idade e está relacionada aos andrógenos das gônadas (ovários ou testículos) ou supra-renais e tende a se um pouco mais grave e persistente, podendo durar até vários anos.

A acne pode deixar sequelas?

acne cicatriz

Sequelas: cicatrizes atróficas (profundas)

Dependendo da agressividade, do tipo de pele e se a pessoa manipulou as lesões, isto é, se “espremeu as espinhas”, a acne pode deixar manchas e/ou cicatrizes.

“Espremer” as “espinhas” pode melhorar a ansiedade, mas piora a pele, deixando manchas e cicatrizes, onde poderia não haver essas complicações. Para tratar ansiedade, procure um psicólogo ou um psiquiatra e não a sua pele.

As cicatrizes podem ser superficiais, profundas, ou seja: atróficas, ou podem ser elevadas e endurecidas, os quelóides.

Então, não “esprema” as “espinhas” e nem os “cravos”!!!!! E use protetor solar fator 30 diariamente!!!

Tratamento

Pra iniciar o tratamento, o médico deve definir o grau de acne. Em casos leves a moderados de acne grau I e II, apenas medicamentos de uso local são indicados, como retinóides, peróxido de benzoíla e antibióticos tópicos.

Um medicamento local que trata inflamação – “espinhas”, não consegue tratar comedão – “cravos”, já que estes não tem inflamação, e o medicamento que trata comedão pode piorar a inflamação. Isso porque, para tratar uma acne grau I, o objetivo é afinar a pele, tirar as camadas mais superficiais, o que acabaria por exacerbar a inflamação.

Em linhas gerais, na acne não grave, o tratamento visa à desobstrução dos folículos e o controle da proliferação bacteriana e da oleosidade.

No grau II de maior intensidade e extensão e no grau III, há a indicação de antibióticos por via oral, além do tratamento local.

Qualquer grau citado acima tratado adequadamente por, pelo menos 3 meses, sem resultado significativo pode ser considerado como resistente.

Acnes resistentes e grau IV têm indicação de tratamento com isotretinoína oral, cujo nome comercial de referência é Roacutan.

A isotretinoína oral é eficaz em 60 % dos casos, nos quais a pessoa pode ser considerada curada. Em 20 % a acne retorna, porém mais branda e em outros 20% faz-se necessário novo curso de tratamento com o medicamento. Portanto, não há milagre.

A proteção solar

melasma 5

A diferença básica entre UVB e UVA é que a UVB queima a pele, mas as duas causam danos à pele

A ação da radiação ultravioleta (UVA e UVB) do sol tende a piorar a mancha que a “espinha” faz durante a sua cicatrização. Esta mancha é chamada hiperpigmentação pós-inflamatória.

melanoma proteção 3

Use protetor solar contra UVA e UVB FPS 30

Assim, parte fundamental do tratamento de acne é a proteção solar.

A proteção solar deve ser eficiente contra as radiações UVA e UVB. A radiação UVB é a que queima e é mais intensa no verão e a UVA, que não transmite calor, não varia de intensidade durante o ano e pode, além manchar a pele e causar o câncer melanoma, induzir o envelhecimento precoce da pele.

Câncer de pele melanoma: induzido pela radiação ultravioleta

Melanoma: induzido pela radiação ultravioleta

A ação da radiação ultravioleta da luz do sol pode também induzir o desenvolvimento do câncer de pele Melanoma (leia mais em Melanoma: Sinais, Riscos e Prevenção).

E pode também levar ao desenvolvimentos de manchas na pele (leia mais em MELASMA: Manchas Escuras na Pele do Rosto).

melasma

Melasma: manchas escuras na pele

Use protetor solar fator 30 todos os dias que proteja tanto para radiação UVB quanto para UVA.

Se você tem acne, procure um dermatologista, produtos de catálogo ou comerciais podem dar alívio, mas resposta real somente com tratamento médico.

Acne, apesar de normal, é uma doença e deve ser tratada por um médico.

Para mais algumas informações, veja o site da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Referências

  • Pediatria – Consulta Rápida – Paula Xavier Picon – Editora: ARTMED EDITORA – Ano de Edição: 2010
  • Saúde – Entendendo as Doenças, a Enciclopédia Médica da Família – Editora: NOBEL
  • E 20 anos de Medicina
publicidade
(Visited 11.928 times, 1 visits today)